Aquisição da escrita: superação de obstáculos

17 - dez /2011

 

Ferreiro (1985), já há muito tempo, apontou uma questão fundamental: Tradicionalmente, a alfabetização inicial é considerada em função da relação entre o método utilizado e o estado de ‘maturidade’ ou de ‘prontidão’ da criança. Os dois pólos do processo de aprendizagem (quem ensina e quem aprende) têm sido caracterizados sem que se leve em conta o terceiro elemento da relação: a natureza do objeto de conhecimento envolvendo essa aprendizagem.

 
Em contraste com essa força irresistível da linguagem, quantas crianças vivas e inteligentes fracassam lamentavelmente na aprendizagem da leitura e da escrita! Ao contrário da linguagem falada, para aprender a ler e a escrever são necessárias escolas, uma instrução, até mesmo um pequeno gênio! O reconhecimento desses paradoxos constitui o melhor ponto de partida de uma reflexão eficaz sobre os problemas da aprendizagem da leitura e da escrita. (Morais)
 
O ato de ler e escrever implica um processo de decifração e, também, a apropriação pela criança da natureza do sistema da escrita.
 
O que podemos fazer para superar tais obstáculos?

 

Verifique proposta completa no link:

http://editoradedodeprosa.com.br/PDF/Oficina%20-%20Aquisi%C3%A7%C3%A3o%20da%20escrita.pdf